Publicidade

Médico é afastado após agredir pai de paciente em Hospital de Aquidauana

                                          Foto: Jornal A Princesinha News 

O médico Quelvin Ribeiro Cordeiro foi afastado de seus plantões após ser acusado de agredir o pai de um paciente com um soco no rosto durante um atendimento no pronto-socorro do Hospital Regional Doutor Estácio Muniz de Aquidauana. A decisão foi tomada pela direção da unidade hospitalar nesta quinta-feira (13).

Em nota enviada à imprensa, a administração do hospital informou que medidas diligentes foram tomadas para apurar os fatos. O processo de investigação foi conduzido junto ao departamento jurídico da instituição, que teve acesso ao boletim de ocorrência registrado no dia do fato.

Vídeo da confusão:


O comunicado destacou que o profissional de saúde envolvido recebeu uma advertência por escrito e está suspenso de seus plantões enquanto aguarda a conclusão da apuração do caso.

O CASO

Nivaldo Barros de Oliveira, 44 anos, relata ter sido agredido com um soco no nariz por um médico no pronto-socorro do Hospital de Aquidauana, enquanto acompanhava o atendimento ao seu filho, vítima de um acidente de trânsito ocorrido no último sábado (08).

Segundo o relato de Nivaldo, ao chegar ao hospital e se deparar com seu filho na maca, sofrendo fortes dores em decorrência do acidente, ele se mostrou nervoso e começou a questionar o médico, identificado como Quelvin Ribeiro Cordeiro. Contudo, o pai afirma que em nenhum momento agrediu o profissional, mas foi surpreendido com um soco no nariz, desferido pelo médico.


Foto: O rosto de Nivaldo fico cheio de sangue 


“Eu estava muito nervoso ao ver meu filho chorando de dores, fiquei alterado sim, mas não levantei um dedo para o médico, eu fiz questionamentos de pai para ele, mas o médico disse que eu o agredi verbalmente e me deu um soco no nariz e me derrubou”, contou Nivaldo.

A situação se agravou quando a esposa e a filha de Nivaldo tentaram intervir, mas foram impedidas de entrar no local. Após a intervenção da Polícia Militar, a família conseguiu acesso ao recinto. Nivaldo se sentiu humilhado pela atitude do médico Quelvin, alegando que esperava acolhimento em um momento de desespero pela saúde de seu filho, e não agressão física.

Por outro lado, o boletim de ocorrência apresentado por Quelvin Ribeiro Cordeiro, relata que Nivaldo teria se exaltado e proferido xingamentos, desrespeitando o profissional de saúde. Alegando defesa pessoal, o médico afirma ter reagido a uma suposta agressão física do pai, resultando em um sangramento nasal.

Nivaldo nega ter agredido o médico fisicamente e pretende denunciá-lo no Conselho Regional de Medicina (CRM), na ouvidoria da Secretaria Municipal de Saúde, e ao prefeito de Aquidauana, considerando que o Hospital está sob intervenção municipal.

Tentamos entrar em contato várias vezes com a direção do Hospital Doutor Estácio Muniz, porém não recebemos retorno. O espaço permanece aberto para esclarecimentos.



Por: Lucas Lima - Jornal A Princesinha News
Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade

Publicidade